Ludus Schola - em latim - Escola Lúdica, é uma Escola Cooperativa de Ensino (de matriz educativa mística e esotérica ocultista) - regida e mantida pela Espiritualidade Mística e Esotérica de Motosofia (E.M.E.M), sem fins lucrativos - com metodologia nativa, sustentada e declinada nas sete Artes Liberais: Trivium e Quadrivium; que visa produzir conhecimento e trazê-los à tona da verdade, para assim difundir o saber para todas as pessoas que dele necessitam. O objetivo de Ludus Schola é ensinar e transmitir o saber nos moldes da Educação Clássica, fazendo uma mescla entre o tradicional e tecnológico, mas sobretudo, concilia o místico com o espiritual, tendo como viés, ser como uma lanterna suspensa, iluminando a trilha para que o indivíduo, saiba escolher com sabedoria qual caminho pretende seguir.
BAIXE OS NOVOS LIVROS DISPONÍVEIS NA BIBLIOTECA ONLINE

HISTÓRIA - O descobrimento da América

 

O mundo antigo

 

Até cerca de cinco séculos antes dos dias de hoje, pouco se conhecia do mundo, além dos países da Europa, parte do ocidente da Ásia e do norte da África. Tinham-se algumas noções muito vagas da Índia e da China. Mas, com a aplicação da bússola à navegação, foi possível realizar grandes viagens e chegar a novas terras.





Várias causas estimularam as grandes navegações: o espírito de aventura, as lendas sobre Catai (China) e Zipângu ou Cipângu (Japão), o zelo religioso pela conversão dos pagãos. Outro motivo ainda, talvez o maior, foi o interesse comercial: a venda de especiarias, drogas, sedas e outros produtos do Oriente. Tal comércio se tornara difícil após a conquista de Constantinopla pelos turcos. Era, pois, necessário descobrir um caminho marítimo para as Índias.

  

Descobrimento dos portugueses

 

Um príncipe lusitano, o Infante D. Henrique, estabeleceu, no começo do século XV, em Sagres, ao sul de Portugal, um centro de estudos de Geografia e Náutica. Aí se aprendia o uso de instrumentos de navegação, estudavam-se os portulanos e praticava-se a arte da pilotagem. Deu o Infante, com a escola de sagres, impulso às viagens de descoberta, e que já se vinham distinguindo os portugueses.

Descobriram os navegantes lusitanos várias terras da costa atlântica da África, atingiram as ilhas dos Açores, da Madeira e chegaram ao litoral da Guiné e do Congo.

Mais tarde, Bartolomeu Dias descobriu o extremo sul africano, o cabo das Tormentas, que D. João II denominou Cabo de Boa Esperança: acreditava ser esse descobrimento bom presságio para o encontro da rota para as Índias, afinal atingidas por Vasco da Gama, o qual em 1498, chegou a Calecute.


IMAGEM 01 – ROTA DAS GRANDES VIAGENS


Descobrimento da América

 

Ao passo que os portugueses tentavam descobrir o caminho das Índias navegando para o Oriente, o genovês Cristóvão Colombo, certo da redondeza da Terra, imaginava descobri-lo navegando para o Ocidente. Para realizar a viagem planejada, procurou, sem êxito, o amparo de sua pátria e o de Portugal. Na Espanha, porém, onde, a princípio, sofrera igual decepção, conseguiu por fim o almejado recurso, graças ao auxílio dum religioso franciscano, que por ele intercedeu junto aos soberanos Fernando e Isabel, os “Reis Católicos”.

Com três caravelas, Santa Maria, Niña e Pinta, Colombo partiu de Palos a 3 de agosto de 1492.

A viagem foi acidentada. Colombo teve dificuldades com a marinhagem, angustiada com o terror do desconhecido, a longa demora e a possibilidade de fome; por fim, a 12 de outubro de 1492, deu-se o descobrimento da primeira terra do Novo Mundo: a ilha de Guanaani, que ficou sendo chamada São Salvador. Navegando para o sul, Colombo descobriu Cuba e Haiti, que teve o nome de Hispaniola.

 

IMAGEM 02 – DESCOBRIMENTO DA AMÉRICA


Regressando à Espanha, Colombo foi recebido com grandes honras e, no ano seguinte, veio de novo à América e descobriu mais algumas das Antilhas. Outras duas viagens fez ainda o grande navegador: numa delas, a terceira, aproximou-se da foz do Orehoco; e na última descobriu as costas de Honduras ao Panamá.

Não mais voltou à América. Tinha falecido a rainha sua protetora. E o grande genovês morreu esquecido, num convento de Valladolid, em 1506.


IMAGEM 03 – ÁFRICA SÉCULO XV


O nome América, dado ao continente que Colombo descobriu, deriva-se do de Américo Vespúcio, famoso piloto florentino, seu contemporâneo.

 

Tordesilhas

 

O rei de Portugal julgou-se prejudicado em seus direitos com o descobrimento de Colombo. Quase chegou a haver guerra com a Espanha. Entraram, porém, em acordo as duas nações. O Tratado de Tordesilhas, feito em 1494, estabeleceu que todas a terras e ilhas a leste duma linha dum a outro polo (meridiano) (2), a 370 léguas das ilhas do Cabo Verde, seriam pertencentes a Portugal; e as que ficassem a oeste da mesma linha pertenceriam à Espanha.


IMAGEM 04 – MERIDIANO D E TORDESILHAS

#descobrimentodaamérica #descobrimentodaamérica #conquistadaamérica #américa #históriadaamérica #descobrimento #odescobrimentodaamérica #descobertadaamerica #descobrimentodaamericaenem #descobrimentodobrasil #descobrimentodaamericacolombo #vascodagama #povoamentodaamérica #eradosdescobrimentos #teoriassobrepovoamentodaamérica #colonizaçãodaamérica #aconquistadaamérica #historiadaamerica #hipótesesocupaçãodaamérica

Nenhum comentário:

Postar um comentário